PROJETOS


FIQUE POR DENTRO

Cadastre-se para
receber nossa News Letter
informativa, sobre novidades
e promoções.

 
Nome:
E-mail:

CONSULTORIAS

  Consultora de Cores para Ambientes   desde 1992, antes era estilista e designer .

Tudo começou quando fui contratada por uma multinacional de tintas (Tintas International) para orientar clientes a escolher cores de tintas para os ambientes.

No começo era só intuição e bom gosto, mas com o tempo comecei a observar nos clientes os diferentes gostos e comportamentos, as preferências por faixas etárias, por sexo, até por nacionalidade já que tive a oportunidade de atender a estrangeiros também.

Comecei a estudar as potencialidades das cores em cromoterapia e colorimetria, através de toda a literatura que eu podia acessar e, em um ano, já fazia projetos de cor para empresas de todos os tipos.

Três anos depois, em 95, comecei a dar cursos e palestras sobre as potencialidades das cores, sobre suas interferências sobre o comportamento humano, individual e de massa e, consequentemente sobre sua aplicabilidade.

Hoje, faço palestras e cursos, aulas em universidades e treinamentos a profissionais de arquitetura, design, publicidade, psicologia, administração e outros segmentos, mostrando a importância do uso inteligente das cores para estimular melhorias no organismo e no comportamento humano.

Faço também projetos de cor e consultorias de cor para residências e empresas de todos os tipos: indústrias, hospitais, escolas, restaurantes, lojas, clubes, academias, igrejas, etc.

O uso da cor certa ou cor adequada passou a ter uma importância muito maior tanto em residências como em empresas.

Nas residências passou-se a considerar as preferências individuais e as de grupo, separadamente, levando a um respeito maior às necessidades do indivíduo, pelo sucesso do todo - a família.

Em empresas, porque são várias formas diferentes de se conduzir comportamentos. Considera-se que todos precisam de estímulos dentro de uma empresa (e em torno dela também), embora específicos às suas diferentes funções, se são clientes, usuários ou funcionários, suas diferentes posições como subordinados ou chefes, seu padrão cultural, faixa etária, sexo, etc.

Com toda essa nova importância para as cores nos ambientes, a estética final de uma decoração passa a depender das necessidades físicas e emocionais do usuário.

Há que se conhecer mais então sobre o usuário (ser humano), sobre os ambientes (aspectos físicos e funcionais) e, principalmente, sobre as propriedades psicodinâmicas das cores.

Pode haver quem não goste de cores, mas não há quem delas não necessite!

Bete Branco.